quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

NOTAS MUSICAIS # 52

APOKALYPSIS APOKALYPSIS – Apokalypsis 1974 – Natural Records – A Apokalypsis, uma das mais importantes e emblemáticas bandas progressivas brasileiras, marcou os anos 70 pela qualidade do seu som, com influências de música barroca, jazz e rock básico e mensagens escancaradas em favor da liberdade. O grupo era formado inicialmente por Zé BRasil (voz, bateria), Prandini (flauta, sax, guitarra, vocal), Tuca (piano, vocal) e Edu Parada (baixo). Em 1975 entrou a cantora Silvia Helena, com quem Zé BRasil se apresenta até hoje. E foi esse line up que fez um show histórico no Teatro Aquarius, São Paulo, em 16 de dezembro de 1974, lançado à época em vinil e que chega agora ao CD. São sete temas, todos de Zé BRasil: Liberdade, Homo Sapiens, Amanhã, Voz dos Tambores, Foi em 66, OVNI e Vamos Salvar a Terra. Registro histórico que merece ser conhecido. Site: www.apokalypsis.com.br

NORAH JONES NORAH JONES – The Fall – Blue Note/EMI – Em seu quarto disco a cantora e compositora Norah Jones abandona o jazz-pop sofisticado e adota postura mais agressiva, com grooves pesados e fortes influências de soul e rhythm & blues. Ela se dá bem também na nova empreitada. As canções são, na maioria, atraentes, casos de Even Though (que parece uma fusão do soul da Atlantic Records com o som de Amy Winehouse), Young Blood (lembra o pop inglês dos anos 80), Waiting (canção soturna a la Johnny Cash) e Back To Manhattan (com pegada do soul da Filadélfia). A voz de Norah Jones cai como uma luva também nesse tipo de repertório. Acompanha EP com seis canções gravado ao vivo no The Living Room, Nova York, em setembro de 2009. Site: www.norahjones.com

MARIA JOÃO QUADROS MARIA JOÃO QUADROS – Fado Mulato – Biscoito Fino – A cantora portuguesa Maria João Quadros lança belo disco em que interpreta fados escritos por compositores brasileiros em parceria com o poeta luso Tiago Torres da Silva, exceção feita a Gota D’Água (canção de Chico Buarque para o musical homônimo escrito por ele e Paulo Pontes) e Amor Alheio (Ivor Lancelotti/Paulo César Pinheiro). Entre os temas estão Fado Mulato (melodia de Zeca Baleiro), Palavras de Vento (Alzira Espíndola), Eu Hei-de Amar Uma Onda (melodia de Francis Hime, que divide os vocais com Maria João), Noites Perdidas (Pedro Luís), Vais Dizer Adeus (de Chico César, com participação de Tito Paris nos vocais) e Fado Escravo (de Olivia Byington, que faz dueto com Maria João Quadros).

CHARLES AZNAVOUR CHARLES AZNAVOUR – Charles Aznavour & The Clayton Hamilton Jazz Orchestra – Capitol/EMIAznavour resolveu fazer este disco com uma grande orquestra americana porque queria algo sonoramente diferente para suas canções. O resultado é a união da emotividade francesa com a vibração das orquestras dos Estados Unidos. A música de Charles Aznavour ganha em força e leveza. Vale prestar atenção principalmente ao tratamento dado aos clássicos La Bohème, Comme Ils Disent e Il Faut Savoir. Entre as outras canções estão De Moins En Moins, Voilà Que Ça Recommence e A Ma Fille. Participações especiais de Rachelle Ferrell (dueto em Fier de Nous e I’ve Discovered That I Love You) e Dianne Reeves (The Times We’ve Known). Site: www.charlesaznavour-lesite.fr

Cr�dito: Josa Jr./Divulga��o. Capa do CD Varanda, da cantora Vanessa Pinheiro. VANESSA PINHEIRO – Varanda – Independente – A cantora e compositora paraense (radicada em Brasília) Vanessa Pinheiro lança seu segundo CD, co-produzido por ela e pelo baixista Arthur Maia. Intérprete e autora de qualidade, passeia por gêneros diversos como maracatu, samba, canção, marcha-rancho, balada, valsa, tudo tratado com extrema leveza. Vale ouvir, entre outras, Melodia Visual (Vanessa Pinheiro/Ângela Brandão), Varanda (também de Vanessa e Ângela) e Precoce (Vanessa/Mario Jovita), além de belas releituras para Aviso Aos Navegantes (Lulu Santos) e Minha Festa (Nelson Cavaquinho/Guilherme de Brito). A linda voz de Vanessa é escudado pela presença de músicos do quilate de Arthur Maia (baixo), Romero Lubambo (violão), Gabriel Grossi (gaita), Fernando Caneca (violão) e Carlos Malta (clarinete). Trabalho de bom gosto. Distribuído pela Tratore (www.tratore.com.br). Site: www.vanessapinheiro.com.br

VIVER A VIDA – Trilha Internacional – Som Livre – A bem sucedida novela global das nove da noite tem trilha internacional à altura de sua qualidade. A seleção musical é das melhores, com gravações de nomes como Trinjtje Osterhuis (What The World Needs Now, clássico de Burt Bacharach), Colbie Caillat (Falling For You), Mariah Carey (I Want To Know What Love Is, regravação de um hit do Foreigner), Marina Elali & Jon Secada (Lost Inside Your Heart), Whitney Houston (I Look To You), Carla Bruni (a primeira-dama francesa, em Tu Es Ma Came) e Juan Luis Guerra (La Llave de Mi Corazón). Há tempos não se via trilha internacional de novela de tão boa qualidade.         

2 comentários:

Damares disse...

Tive a alegria de conhecer o primeiro CD de Vanessa Pinheiro e depois de ouvi-la cantar pessoalmente.
Fiquei fascinada.
Não conseguia imaginar nada melhor que o primerio CD, mas confesso que ao ouvir o segundo fiquei mais imprescionada ainda com seu talento. Ela se superou como compositora e como cantora.
Varandas é mais que uma coletânea de excelentestes musicas, é uma obra de arte.
o Brasil precisa ouvir e cantar Vanessa Pinheiro
Damares Alves
Consultora Juridica (Brasilia)

Gilberto Vaz disse...

Vanessa Pinheiro é música brasileira de alta qualidade.

O Brasil precisa conhecer essa voz e essas composições de aura poética.

A música de qualidade ainda vive!