domingo, 7 de março de 2010

SÍNTESE DE UMA LINDA HISTÓRIA

SÁ, RODRIX & GUARABYRA SÁ, RODRIX & GUARABYRA                    
Amanhã 
Roupa Nova Music

Mentores do rock rural, os cariocas Luiz Carlos Sá e Zé Rodrix e o baiano Guttemberg Guarabyra estabeleceram as bases do gênero com dois discos seminais, Passado Presente Futuro, de 1972, e Terra, de 1973. Com o fim do trio, e Guarabyra passaram pouco tempo depois a trabalhar juntos e Rodrix tocou bem sucedida carreira solo, atuando também com a banda Joelho de Porco e, a exemplo dos companheiros, criando jingles publicitários. Em 2001 eles se reuniram para uma apresentação no Rock in Rio 3 e no segundo semestre daquele ano gravaram o CD e DVD Outra Vez Na Estrada. Amanhã é o quarto trabalho do trio, e infelizmente o último, pois Zé Rodrix morreu em maio do ano passado, pouco tempo após a finalização do álbum.

O que , Rodrix e Guarabyra formataram está sintetizado nas doze canções que compõem Amanhã: rock com pegada folk, toadas, baladas, xote e maracatu. Além da beleza de todas as canções destacam-se as hábeis harmonias vocais de sempre, engendradas pelo trio e por Tavito, que produziu o disco. Há belos arranjos de metais assinados por Rodrix, e de cordas a cargo dele e, em algumas faixas, de Eduardo Souto Neto.

SÁ, RODRIX & GUARABYRA O repertório é praticamente todo inédito, com exceção de Amanhece Um Outro Dia (Sá/Guarabyra/Vitor Martins), que foi tema de abertura da novela Revelação, do SBT, e Nós Nos Amaremos (Guarabyra), gravada pela cantora Ana Lee em 2009. Entre os temas, pequenas maravilhas como a balada Amanhã (Rodrix), a canção Marina, Eu Só Quero Viver (Guarabyra), o blues-rock Sonho Triste Em Copacabana (Sá/Rodrix), com citação de Casaco Marrom (Danilo Caymmi/Renato Correa/Guarabyra) e com direito ao naipe de metais batizado pelo trio de Manga-Rosa, sempre presente em seus discos, o pop abolerado Novo Rio (Sá), sobre o que pode acontecer com a Cidade Maravilhosa, o xote Dia do Rio (Sá/Rodrix/Guarabyra), mantendo viva a preocupação com questões da Natureza, o xaxado pop Amar Direito (Sá) e o rock Caminho de São Tomé (Rodrix), com refrão envolvente. e Guarabyra seguem em frente, levando o legado do trio e as lindas canções que fizeram e fazem como dupla. Amanhã é um belíssimo disco.  

5 comentários:

Alan disse...

Esse CD é um acontecimento! Canções sensacionais, arranjos maravilhosos. A criatividade do trio a mil por hora. Saudade do Zé!

TONINHO SPESSOTO disse...

Realmente, Mestre Romero, um disco histórico sob todos os sentidos.
Saudade do Mano Zé!
Abração!

Tavito disse...

Bem, sou o suspeito nº 1, mas ao reouvir o disco, me surpreendi com a coerência. É notável o conceito, a consciência em bloco impressa neste CD.

TONINHO SPESSOTO disse...

Ninguém melhor que você para avaliar e contextualizar, certo, Mano Véio!
Beijos!
Tunin

Érico San Juan disse...

Além de poder ouvir essas canções mnaravilhosas, como fã que sou da dupla, e depois do trio, após a retomada, tive o grande prazer de "embalar" esse CD, fazendo o projeto gráfico dele. E isso numa época em que o CD está praticamente acabando... Pena que, com o Zé ausente, o trio tenha acabado também. Mas as canções são eternas, ainda bem!