quarta-feira, 4 de junho de 2008

ÁCIDO, CORROSIVO, REAL

BEBETO ALVES
Devoragem
Independente

O compositor e cantor gaúcho Bebeto Alves é da geração setentista/oitentista de músicos dos Pampas da qual fazem parte também Nelson Coelho de Castro, Raul Ellwanger, Nei Lisboa, Hermes Aquino, os Almôndegas, Kleiton & Kledir (que começaram nos Almôndegas) e o falecido Carlinhos Hartlieb. Está, ao mesmo tempo, ligado a nomes mais recentes como Vitor Ramil (que começou praticamente ao mesmo tempo que os irmãos Kleiton e Kledir, mas que está hoje no auge da maturidade artística) e Antonio Villeroy. Nos anos 80, chegou a ser trabalhado pela gravadora Warner como um ídolo pop do Rio Grande, mas a praia era bem outra.

Seu trabalho é formado por canções, milongas e toadas com letras ora densas, ora românticas, todas inegavelmente bem construídas. Em Devoragem, produção independente, Bebeto Alves analisa com precisão cirúrgica a agrura do cidadão comum em Periferia, fala de amores mal resolvidos em Tchau, aborda o conceito de 'aldeia global' de Marshall McLuhan em Globalizacion, canção impregnada de crítica social. Sonoramente o disco é muito bem acabado, com loops, beats eletrônicos, guitarras pulsantes e percussão de qualidade. Participações especiais das cantoras Vika Barcellos (em Periferia e Globalizacion) e Luciana Pestano (em Se Eu Soubesse). Um disco cosmopolita na essência. Raízes gaúchas, certa pegada carioca, reflexos latinos, pitadas de hip hop, som universal. Muito bom.

Como adquirir o CD: www.bebetoalves.com.br

2 comentários:

Danny Reis disse...

Eu ké também!!!
hehehehehe...

TONINHO SPESSOTO disse...

Olha, vale a pena, é muito bacana!
Beijos!