domingo, 14 de dezembro de 2008

PACOTE CAMALEÔNICO

A Universal coloca nas lojas a aguardada caixa Camaleão, com dezessete CDs de Ney Matogrosso  percorrendo a carreira solo do cantor de 1975 a 1991. Antes de lançar Água do Céu - Pássaro, pela Continental, em 1975, Ney fez dois discos como integrante dos Secos & Molhados e se transformou em astro da música brasileira (houve um terceiro álbum do grupo, gravado ao vivo no Maracanãzinho, que chegou a ser lançado pela Continental mas foi logo recolhido, por ter saído à revelia do cantor). A coleção foi organizada pelo jornalista e pesquisador Rodrigo Faour. Para cada CD Faour escreveu minucioso texto explicativo, retratando o processo criativo e a evolução artística de Ney Matogrosso. Todos os discos tiveram áudio remasterizado, sendo que os três primeiros, lançados originalmente pela Continental - Água do Céu -- Pássaro (1975), Bandido (1976) e Pecado (1977) - foram restaurados a partir de cópias em vinil, pois as masters se perderam.

A caixa traz, além dos três citados, Feitiço (um dos melhores discos de Ney, lançado pela Warner em 1978), Seu Tipo (Warner, 1979), Sujeito Estranho (Warner, 1980), Ney Matogrosso (Ariola, 1981), Mato Grosso (Ariola, 1982), Brazil Night - Montreux '83 (gravado ao vivo na Noite Brasileira do Festival de Montreux de 1983; o disco traz também João Bosco e Caetano Veloso; Barclay, 1983), ...Pois É (Barclay, 1983), Destino de Aventureiro (Barclay, 1984), Bugre (Barclay, 1986), Pescador de Pérolas (um disco radicalmente diferente de tudo o que Ney fizera até então, com repertório à base de clássicos da MPB e acompanhamento por Arthur Moreira Lima (piano), Raphael Rabello (violão), Paulo Moura (clarinete) e Chacal (percussão); CBS, 1987), Quem Não Vive Tem Medo Da Morte (CBS, 1988), Ney Ao Vivo (CBS, 1989) e À Flor da Pele (com Ney acompanhado ao violão pelo saudoso Raphael Rabello; Som Livre, 1991). Completa a caixa Camaleão a coletânea Pérolas Raras, com registros avulsos de várias fases da carreira de Ney Matogrosso, entre eles A Dança da Lua (dueto com a cantora portuguesa Eugénia Melo e Castro), Bandido Corazón (versão em espanhol), Bandolero (também em espanhol) e Tristeza do Jeca (com Tonico e Tinoco, gravação ao vivo). Todos os CDs apresentam as capas e encartes originais, além da reprodução dos rótulos (selos) dos LPs, algo raro de se ver no Brasil. Mapeamento importante dos primeiros passos da trajetória solo de um dos mais influentes artistas brasileiros.

Site Oficial: www.neymatogrosso.com.br

Um comentário:

Diego disse...

A caixa "Camaleão'' está simplesmente deslumbrante, tanto pela qualidade musical dos cds, quanto pelo acabamento primoroso, c/ um trabalho gráfico da maior competência. E seria injusto se não fosse assim, pois o apuro visual sempre foi um dado marcante na trajetória de Ney. Qto aos discos, por enquanto, só ouvi os 3 primeiros, e são deliciosos. Só o "Água do Céu-Pássaro" já valeria a caixa, que trabalho ousado e que modernidade! Genial!
Parabéns pelo texto, Toninho, muito bom. Abraço!