segunda-feira, 12 de novembro de 2007

DNA DO SAMBA


DIOGO NOGUEIRA
Diogo Nogueira Ao Vivo
EMI


Esse negócio de filho de artista seguir a estrada dos pais é complicado. Por vezes, fica difícil livrar-se das comparações, principalmente quando se trata de cantores, vide o exemplo de Maria Rita, que só agora consegue apagar a semelhança vocal com Elis Regina. Diogo Nogueira, filho do maravilhoso e insubstituível João Nogueira, tem voz impressionantemente parecida com a do pai, mas já mostra em seu DVD e CD de estréia que possui brilho próprio. E olhe que canta alguns sambas imortalizados pelo grande Nogueira, mas com personalidade, sem qualquer resquício de semelhança interpretativa.

Gravado em julho último no Teatro João Caetano (Rio), Diogo Nogueira Ao Vivo revela um artista já maduro. Herdou de Mestre João, além do belíssimo timbre vocal, o bom gosto pela escolha de repertório. Do cancioneiro do pai abraça Minha Missão, Poder da Criação, Súplica, Batendo a Porta (todas de João Nogueira e Paulo César Pinheiro) e Nó na Madeira (Nogueira/Eugênio Monteiro). Homenageia outro saudoso sambista, Roberto Ribeiro, com Vazio (Está Faltando Uma Coisa Em Mim) (Nelson Rufino). Diogo recebe como convidados o violonista Marcel Powell (em Violão Vadio, do pai de Marcel, Baden Powell, em parceria com Paulo César Pinheiro), Marcelo D2 (em Do Jeito Que o Rei Mandou, de João Nogueira e Zé Catimba, e Nó na Madeira) e Xande de Pilares (do grupo Revelação, em Cai no Samba, de Ciraninho).


Entre os sambas inéditos, Laço Desfeito e Trem do Tempo, ambos de Diogo em parceria com Ciraninho (o segundo tem também Alceu Maia como autor). Mas o momento mais emocionante é, inegavelmente, o clássico Espelho (João Nogueira/Paulo César Pinheiro), que começa com uma imagem de João Nogueira, num telão em gravação dos anos 70 do acervo da TV Educativa do Rio, e continua com o filho no palco. Encerrando o show, o samba-enredo da Portela de 2007, Os Deuses do Olimpo na Terra do Carnaval, Uma Festa do Esporte, da Saúde e da Beleza, de Diogo e Ciraninho, com participação de ritmistas da Escola. Diogo Nogueira é do samba. E como o pai, é craque!

Site oficial: www.diogonogueira.com.br

Duração total: 94 minutos
Extras: making of, galeria de fotos
Legendas: português, inglês, espanhol
Áudio: DTS, Dolby Digital 5.1, Dolby Digital 2.0
Região 0 (roda em qualquer aparelho)

4 comentários:

dodge disse...

Quando fico sabendo que tal novato é filho de um artista renomado, fico com um pé atrás. Mas procuro não ter preconceito e conhecer o que ele faz e saber se é bom ou não. Ainda não ouvi Diogo Nogueira, mas deve ser mesmo essa grata surpresa. Outros tantos, não sei quantificar, só aparecem pela facilidade que é trilhar o caminho aberto pelos pais. Mas em todo ramo tem disso. Advogados, médicos, dentistas, jogadores de futebol, acabam influenciando a escolha dos filhos. Às vezes dá certo, às vezes não...

Anônimo disse...

Gosto é gosto! Achei extamente o contrário. Musicalmente um clone mal feito do pai. Escolhas óbvias de repertório e uma forçação de barra tremenda da gravadora na divulgação do rapaz. Só faltou botar o cara sem camisa no encarte do cd, como os de pagode. Se bem que não seria má idéia, pq esse DNA deve ser da mãe, pq o cara é lindo!

Lagarto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lagarto disse...

http://musicas-e-letras.blogspot.com
Ola tudo bem?
Gostei muito do seu blog, muito dinâmico adoro música...
Tenho um blog de musicas com letras, cifras, meus comentários e entre outras coisas que estarei a comentar nele...
Se purdermos fazer uma parceria, será muito interessante
Ciente de sua atenção,
Lagarto da música.
hehe
http://musicas-e-letras.blogspot.com