sexta-feira, 9 de novembro de 2007

GRAMMY LATINO: UMA FESTA SEM SURPRESAS


A cerimônia de entrega do 8o Grammy Latino, principal prêmio da indústria fonográfica internacional ligado à música dos países latinos, realizada no final da tarde de ontem no Mandalay Bay Events Center, em Las Vegas, não trouxe maiores surpresas. Como já era previsto, o cantor e compositor dominicano Juan Luis Guerra, homenageado como Personalidade do Ano pela Academia Latina de Artes e Ciências da Gravação (LARAS), idealizadora do Grammy, levou também os cinco gramofones dourados aos quais concorreu, nas categorias de Álbum do Ano e Melhor Álbum de Merengue, por La Llave de Mi Corazón, e Gravação do Ano, Canção do Ano e Melhor Canção Tropical justamente pela faixa que dá título ao disco.

O astro dominicano recebeu o prêmio de Personalidade do Ano das mãos da cantora cubana Gloria Estefan, uma das responsáveis pela criação do Grammy Latino ao lado do marido, o produtor cubano Emilio Estefan. Na noite anterior, Guerra havia sido homenageado pela Academia Latina com um grande jantar seguido de um show do qual participaram nomes de peso da música latina, entre eles a brasileira Daniela Mercury.


A música brasileira não ficou restrita às oito categorias exclusivas. Caetano Veloso levou o Grammy Latino de Melhor Álbum de Cantor/Compositor com . E o maestro John Neschling, regente titular da Orquestra Sinfònica do Estado de São Paulo, ficou com o gramofone dourado de Melhor Álbum de Música Clássica por Beethoven: Abertura Consagração da Casa - Sinfonia no. 6 (empatado com La Canción Romantica Española, da soprano Montserrat Caballé). Nas categorias específicas brasileiras os premiados foram Daniela Mercury (Melhor Álbum de Raízes Brasileiras, por Balé Mulato Ao Vivo), Cauby Peixoto (Melhor Álbum Romântico, por Eternamente Cauby Peixoto - 55 Anos de Carreira), Lobão (Melhor Álbum de Rock, por Acústico MTV), Lenine (Melhor Álbum Pop Contemporâneo, por Acústico MTV), Zeca Pagodinho (Melhor Álbum de Samba/Pagode, por Acústico MTV 2 - Gafieira), Leny Andrade e César Camargo Mariano (Melhor Álbum de MPB, por Leny Andrade e César Camargo Mariano Ao Vivo), Aline Barros (Melhor Álbum Cristão, por Caminho de Milagres Ao Vivo) e Caetano Veloso (Melhor Canção Brasileira, por Não Me Arrependo, do álbum ).

Os prêmios brasileiros foram entregues em cerimônia realizada uma hora antes da grande festa, com apresentação da jornalista Patrícia Maldonado, do programa Atualíssima, da TV Bandeirantes, convidada especial da Academia Latina. A Bandeirantes transmitiu pela primeira vez o Grammy Latino (nos anos anteriores os direitos foram do SBT, que literalmente sucateou a festa chegando ao absurdo de gravar a premiação de 2006 e transmiti-la um mês e meio depois legendada, e de não transmitir ao vivo a de 2005, dividindo a festa em cinco 'capítulos' veiculados de madrugada).


A transmissão da Band foi ancorada pela jornalista Mariana Ferrão (esq. na foto), do Jornal da Band, com comentários do produtor Guto Graça Mello, duas vezes ganhador do Grammy Latino por discos de Roberto Carlos, e do cantor Paulo Ricardo, que concorria ao prêmio de Melhor Álbum Pop Contemporâneo. De Las Vegas, Patricia Maldonado (dir. na foto) fez matérias especiais e apresentou, ao vivo, a chegada dos artistas ao Mandalay Bay, entrevistando Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Laura Pausini e Ricky Vallen (ex-calouro do Programa Raul Gil, que concorria ao Grammy Latino de Artista Revelação, ganho pela dupla mexicana Jesse & Joy, uma espécie de Sandy & Jr. azteca, como bem lembrou Mariana Ferrão). A cobertura da Band foi exemplar. Mariana Ferrão conduziu o programa com segurança, competência e carisma, e mostrou enorme conhecimento musical. Os comentários de Guto Graça Mello foram sempre pertinentes. Paulo Ricardo, que chegou um pouco atrasado pois estava fazendo um show fechado em São Paulo, mostrou-se um pouco perdido em alguns momentos. E Patrícia Maldonado foi notável, tanto nos dias que antecederam a entrega do Grammy Latino quanto na apresentação dos vencedores brasileiros e nas entrevistas ao vivo na entrada da festa. A geração do evento, a cargo da cadeia latina Univisión, foi extremamente profissional. Tomara que a Academia Latina reconheça o esforço da Band e mantenha com a emissora paulista os direitos de transmissão. E mais: que no ano que vem categorias e artistas brasileiros estejam presentes na festa principal, pois em 2007 o único presente numa das categorias incluídas na cerimônia foi o cantor Ricky Vallen.

2 comentários:

Dodge disse...

Cauby Peixoto, Lobão, Lenine, Leny Andrade fizeram por merecer! Deveria haver ainda um reconhecimento de destaque pelo conjunto da obra de Cauby, mas sei que essa premiação não chega a tanto. Resta a nós brasileiros prestar essa homenagem. O resto, participantes e outros escolhidos, me dá até certa náusea comentar. Mudando de assunto, esse blog deveria ter muito, mas muito mais acesso pela quantidade de informação e principalmente pelo seu conteúdo. Abs

TONINHO SPESSOTO disse...

Dodge,
Muito obrigado pela participação sempre brilhante, meu amigo!
Grande abraço!