segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

GRAMMY 2008: AMY WINEHOUSE E HERBIE HANCOCK, OS GRANDES VENCEDORES


A cantora e compositora inglesa Amy Winehouse e o pianista de jazz norte-americano Herbie Hancock foram os grandes destaques da cerimônia de entrega do 50o Grammy, realizada na noite deste domingo, 10 de fevereiro, no Staples Center, em Los Angeles. Winehouse levou cinco dos seis gramofones dourados que disputou - Revelação, Gravação do Ano (Rehab), Melhor Performance Vocal Pop Feminina, Canção do Ano (Rehab), Álbum Pop (Back To Black) -, perdendo apenas o de Álbum do Ano, que ficou com Hancock por River: The Joni Letters, dedicado à cantora e compositora canadense Joni Mitchell. O músico levou, ainda, o prêmio de Álbum de Jazz.

O Brasil concorreu na categoria Álbum de World Music com Céu (Céu), Gilberto Gil (Gil Luminoso) e Bebel Gilberto (Momento), mas o prênio acabou nas mãos de Angelique Kidjo, do Benin, por Djin Djin. Se serve de consolo, a brasileira Luciana Souza participa do disco de Herbie Hancock...

PERFORMANCES MEMORÁVEIS - A festa teve algumas boas surpresas. De saída, um belo dueto de Alicia Keys e Frank Sinatra no clássico Learnin' The Blues, com a imagem do cantor projetada num telão. O Cirque Du Soleil fez uma comovente performance ao som de A Day In The Life, clássico dos Beatles, do álbum Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (1967). O produtor do disco, Sir George Martin, ganhou o Grammy de Melhor Trilha Sonora pelo álbum Love, com canções dos Beatles, produzido para o espetáculo homônimo do Cirque Du Soleil. Curiosamente, derrotou indiretamente os próprios Beatles, presentes com suas canções na trilha do festejado filme Across The Universe, que concorria na mesma categoria.


Tina Turner e Beyoncè fizeram um explosivo dueto no clássico Proud Mary. John Fogerty e os decanos Jerry Lee Lewis e Little Richard levaram a platéia ao delírio num medley que incluiu Comin' Down The Road, canção inédita do fundador do Creedence Clearwater Revival, e os clássicos Great Balls Of Fire e Good Golly Miss Molly. Lewis parecia apático, ao passo que Richard não economizou seu falsete. Um momento que poderia ser muito bonito transformou-se em algo constrangedor: a veterana Keely Smith subiu ao palco para reverenciar o ex-marido, o inigualável Louis Prima (um dos maiores entertainers de todos os tempos) em That Old Black Magic. Para fazer a parte de Prima, foi escolhido Kid Rock, que simplesmente não sabia a canção e parecia estar sob efeito de drogas.

SAINDO DAS CINZAS - Mas o mais surpreendente foi mesmo a participação de Amy Winehouse, direto de um estúdio em Londres. Diante de uma pequena e eufórica platéia e apresentada pelo ator Cuba Godding Jr., a estrela inglesa fez um medley sensacional com You Know I'm No Good e o hit Rehab. Amy mostrou que o tratamento de desintoxicação está surtindo efeito, pois pareceu mais bem disposta. Emocionou-se ao receber a notícia da vitória na categoria de Gravação do Ano e agradeceu aos pais e à cidade de Londres (seu visto de entrada na América havia sido negado, mas ela impetrou recurso e obteve a permissão, porém apenas dois dias antes da festa, o que a impossibilitou de viajar).

Uma curiosidade relativa às premiações: Barack Obama, que disputa com Hillary Clinton a candidatura pelo Partido Democrata à eleição presidencial dos Estados Unidos no final deste ano, ganhou o Grammy de Álbum Falado (com discursos, aulas ou textos literários), por The Audacity Of Hope. Obama é mesmo poderoso, pois derrotou dois ex-presidentes na mesma categoria, Bill Clinton e Jimmy Carter...


TRANSMISSÃO DESASTROSA - Apesar da festa ter sido gerada pela CBS com excepcional qualidade, os telespectadores brasileiros ficaram à mercê dos abusos e desrespeito da Sony Entertainment Television. Além das irritantes vinhetas que constantemente classificavam o Grammy como 'uma festa para velhos e alquebrados', a emissora teve a capacidade de cortar o segmento final. Logo após o agradecimento de Herbie Hancock ao receber o Grammy de Álbum do Ano, entrou novamente o Cirque du Soleil para mais uma performance dedicada aos Beatles. A Sony simplesmente soltou um comercial, voltando já nos créditos finais da transmissão. Durante a semana o canal promete reprisar a festa, agora legendada. Portanto, prepare-se para mais sustos...

Clique aqui e veja a relação completa dos ganhadores das 110 categorias do Grammy 2008



Grammy 2008: Amy Winehouse, diretamente de Londres, em medley com You Know I'm No Good e Rehab. A cantora e compositora levou cinco prêmios



Grammy 2008: Graças à tecnologia, Alicia Keys canta, em dueto com Frank Sinatra, o clássico Learnin' The Blues



Grammy 2008: Beyoncè e Tina Turner fazem dueto memorável em Proud Mary

4 comentários:

Calil Neto (Miguelito) disse...

É uma vergonha a cantora Amy Winehouse não poder entrar nos EUA devido seu envolvimento com drogas. Parece que a terra do Tio Sam é o país mais santo de nosso planeta e que não existem outros artistas com o mesmo tipo de problema que rondam suas fronteiras ou estiveram presentes no Grammy 2008.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Toninho!
Eu fiquei alucinada com o dueto da Tina e da Beyoncé!
Demais!
Pra mim a cerejinha do bolo foi o Herbie!
Ele não esperava e eu tb não!
Ficamos os dois,ele de lá e eu de cá,surpresos e...felizes,muito felizes...
Beijos ,
Lu!

TONINHO SPESSOTO disse...

Miguel, Lu,

Concordo plenamente com vocês.

Amy Winehouse deu um banho e mereceu os cinco prêmios, assim como o grande Herbie Hancock.

Quanto ao dueto de Tina Turner e Beyoncé, magnífico!

Beijos!