domingo, 30 de dezembro de 2007

O MELHOR DE 2007 - CDs NACIONAIS

Final de ano é aquela coisa. Tempo de balanço, de retrospectivas e quetais. E todos os jornalistas musicais publicam sua lista de melhores. Para não fugir à regra, resolvi fazer a minha. Começo pelos melhores CDs nacionais.


QUE BELO ESTRANHO DIA PRA SE TER ALEGRIA - Roberta Sá (MP,B/Universal) - Em seu segundo disco (na verdade terceiro, levando-se em conta o de sambas que ela fez de encomenda para uma empresa), a potiguar Roberta Sá provou definitivamente que é uma das melhores e mais inteligentes cantoras brasileiras. Lançando mão de repertório inédito e duas releituras (Alô Fevereiro, de Sidney Miller, e o raro Interessa?, de Carvalhinho), mostra enorme graça e beleza como intérprete. Entre os temas inéditos, Janeiros (Roberta e Pedro Luís), Laranjeira (Roque Ferreira) e Fogo e Gasolina (Pedro Luís/Carlos Rennó), este em dueto com Lenine.


MARIANNA LEPORACE CANTA BADEN POWELL - Marianna Leporace (Mills Records) - Concebido originalmente para o mercado japonês, esta obra-prima felizmente saiu por aqui. Traz a carioca Marianna Leporace, uma das mais extraordinárias cantoras brasileiras, interpretando apenas sambas de Baden Powell como Lapinha, Cai Dentro (ambas dele e Paulo César Pinheiro), Apelo, Pra Que Chorar e Tempo Feliz (as três de Baden e Vinícius de Moraes). Marianna tem leveza e ao mesmo tempo sabe colocar densidade quando necessário, tudo em doses exatas. Os filhos de Baden, o violonista Marcel Powell e o pianista Philippe Baden Powell, participam do CD.


PRA MARTE - Maurício Pereira (Lua Music) - Em seu quarto disco solo (ele gravou dois como integrante dos Mulheres Negras ao lado de André Abujamra), o cantor e compositor paulistano Maurício Pereira mostra ser um atento observador do cotidiano. Canções precisas e bem concebidas trazem cenas curiosas do dia-a-dia e também 'causos' interessantes e/ou estranhos, daqueles difíceis de acreditar, mas que adquirem incrível verossimilhança nas interpretações do autor. Entre os temas, Motoboys, Girassóis, Etc. e Tal, O Penhasco e o incrível A Loira da Caravan, que relata uma experiência sobrenatural. Participações de Skowa (do Trio Mocotó), André Abujamra e da poeta Alice Ruiz.


ONDE BRILHEM OS OLHOS SEUS - Fernanda Takai (Do Brasil Música) - Em seu primeiro trabalho solo, a amapaense Fernanda Takai, a voz do Pato Fu, literalmente desconstrói a obra de Nara Leão através de fantásticas e inusitadas leituras de alguns dos grandes momentos do repertório da musa da Bossa Nova. Produzido por John Ulhoa com direção musical de Nelson Motta, o CD mostra soluções harmônicas antes impensadas (e inimagináveis) para temas como Diz Que Fui Por Aí (Xé Kéti), Lindonéia (Caetano Veloso/Gilberto Gil), Com Açúcar, Com Afeto (Chico Buarque), Insensatez (Tom Jobim) e Odeon (Ernesto Nazareth). O que já era moderno renova-se mais uma vez.


AMOR E CAOS - Ana Cañas (Sony BMG) - O trabalho de estréia da paulistana Ana Cañas surpreende de cara por ser algo rraro em se tratando de um disco lançado por grande gravadora: traz uma nova artista com total liberdade criativa, mostrando realmente a que veio, sem pressões ou estilo impostos por quem quer que seja. Produzido por Alexandre Fontanetti, o CD apresenta uma intérprete criativa, que sabe tirar proveito das canções com seu timbre delicioso, que passa pelos lamentos de divas do jazz e chega ao melhor da alma brasileira. É prazeroso ouvir Ana Cañas em temas como Mandinga Não, Para Todas As Coisas e Devolve Moço, todos dela, e em Coração Vagabundo (Caetano Veloso), Super-Mulher (Jorge Mautner) e Rainy Day Women (Bob Dylan). Participação especial do percussionista Naná Vasconcelos.

2 comentários:

Danny Reis disse...

Toninho, eu nunca posso fazer uma lista dessas pois estou sempre atrasada! rs... Mas em dois CDs nós concordamos: o da Roberta Sá e o outro eu nem preciso dizer, né???
:)
Beijão! Feliz 2008!!!

TONINHO SPESSOTO disse...

Não, não precisa. É maravilhoso mesmo, não?

Um 2008 maravilhoso pra você, meu amor!

Beijos, Beijos, Beijos!!!