segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

SAMBA E DIVERSIDADE


IONE PAPAS
Na Linha do Samba
Dabliú


Samba-de-roda, samba duro, samba-reggae, samba de terreiro, samba-canção. Todas essas possibilidades são exploradas pela competente cantora baiana Ione Papas em Na Linha do Samba, segundo CD da carreira, lançado sete anos após a elogiada estréia com Noel Por Ione. O novo trabalho tem produção do versátil guitarrista Alexandre Fontanetti.


O repertório mescla sambas inéditos e clássicos. Entre os temas já conhecidos, Som Sagrado (Wilson das Neves/Paulo César Pinheiro), O Samba é Bom (Péri), O Enterro do Samba (Tito Bahiense) e Foguete Particular (Batatinha). O rol de novidades inclui preciosidades como Pérolas do Carnaval (Mário Leite) e Bondinho (Nando Távora). Em Sonho Colorido de Um Pintor (B. Lobo/Talismã), Ione Papas divide os vocais com Fabiana Cozza. O único senão é Samba Rap (Ione Papas/Álvaro FC), com participação do rapper Braiam. Apesar da diversidade que a intérprete propõe, aqui a mescla de samba com rap soa deslocada, não tem o sabor natural do restante do álbum. Mas isso não compromete o resultado final.

Um comentário:

Oliveira disse...

Oi, Toninho,

Recentemente vi sua crítica de setembro sobre o disco Delicada da Teresa Cristina. Me atentou o fato de você dizer que sua voz é como a de dúzias de cantoras de samba. Obviamente, a EMI não está interessada na voz de Teresa, mas sim na sua "queridice".

O que eu tenho visto na Lapa, hoje, é diferente. Recentemente, fui visitar o Carioca da Gema, na esperança de que seu festival me desse o que falar aos meus amigos.

Me chamaram muita atenção as duas cantoras que venceram o concurso: Aline Calixto e Manu Santos.

Essas duas têm algo que as diferenciam da safra atual da Lapa, com certeza.

Fique esperto, porque a Cláudia Gonzaga, produtora da Alcione, soltou essa, de boca cheia sem tirar nem por, pra Manu: "Você interpreta muito, e canta pra cacete!".

E Moacyr Luz, pra Aline: "Você é a minha cantora".

E agora, do aparente nada, as duas cantoras ganham espaço entre os grandes do Carioca da Gema, todas as Quintas Feiras, no Happy Hour.